Sport vence Bragantino e assume vice-liderança na Série B

      07 SET 2019
      07 de Setembro de 2019

      Em relação à última partida diante do Oeste, o técnico Guto Ferreira contou com retornos importantes, à altura do duelo diante do líder Bragantino - cujo elenco tem vários jogadores com passagens pelo futebol pernambucano. Recuperados, Adryelson e Sander recompuseram o sistema defensivo, enquanto Guilherme e Hernane Brocador voltaram ao ataque no time titular. 

      Com o Bragantino fazendo marcação alta, sobretudo no meio de campo, coube ao Sport criar pelos lados. Principalmente pelo lado direito, com o apoio de Norberto nos cruzamentos. Foi assim a primeira chance do Leão na partida. Rafael Thyere fez rápido a transição, tocou para Norberto, que avançou e cruzou. A bola chegou em Hyuri, que girou bem e chutou raspando à direita do gol de Júlio César.

      Mas o Massa Bruta não conseguiu agredir o Rubro-negro, que continuava buscando o gol. E ele saiu. Pela esquerda, Guilherme encontrou Hernane Brocador na pequena área, e de peito, fez a parede para Leandrinho chutar colocado, à esquerda do arqueiro. Sem chance. Um a zero para o Leão na Ilha do Retiro. Resultado de um Sport agressivo e eficiente em campo no primeiro tempo.

      Placar que, no entanto, poderia ter sido ampliado, dando maior tranquilidade aos pernambucanos - pelo menos - na primeira etapa. Mas que não ocorreu. Hernane tocou em profundidade para Hyuri ficar cara a cara com Júlio César, mas ao invés de chutar, o atacante preferiu tocar para Leandrinho, que foi travado na hora do chute por Léo Ortiz, ex-Sport.

      E o responsável por ter livrado o time paulista do segundo gol foi o mesmo que empatou o jogo na Ilha do Retiro. Valendo o ditado de ‘quem não faz, leva’, o zagueiro, nos acréscimos, subiu mais alto que a defesa rubro-negra e, no cruzamento de Edinho, cabeceou no canto direito de Mailson, deslocando o goleiro. Um a um que fez o time ir para os vestiários com algumas vaias da torcida.

      Diferentemente da primeira etapa, o segundo tempo começou mais aberto, com ambas as equipes chegando mais vezes ao ataque. Foi o Sport quem teve a primeira oportunidade de ficar, novamente, à frente do placar. Mas faltou capricho a Hernane Brocador, que recebeu na pequena área o chute cruzado de Guilherme, mas errou o tempo da bola, que subiu demais. Em seguida, o Bragantino devolveu com um foguete de Wesley, de fora da área, que tirou tinta de Mailson.

      Apesar do equilíbrio inicial, foi o Rubro-negro quem, pouco a pouco, voltou a dominar a partida, criando mais volume de jogo. No entanto, o Sport ainda esbarrava em sucessivos erros para concluir as jogadas de ataque em gol. Prova disso foi a chance perdida por Hyuri, em levantamento de Leandrinho. O atacante ficou sozinho e cabeceou a bola para fora. O mesmo script de Rafael Thyere, minutos depois, cara a cara com Júlio César.

      As chances criadas pelo Sport, no entanto, não significavam que o Bragantino estivesse recuado. Na verdade, o Massa Bruta esperava a chance ideal para matar o jogo no contra-ataque. E Wesley, se não fosse o milagre de Mailson, viraria o placar. O jogador chutou fraco, mas a bola desviou e quase enganou o goleiro leonino, que defendeu com o pé.

      Logo depois, em roubada de bola na defesa, Bruno Tubarão recebeu de Claudinho, e Mailson, outra vez, saiu para o abafa e salvou o Leão. Chegando ao final da partida, em um cenário que parecia favorável ao empate, tudo mudou. E positivamente para o Sport. Pedro Carmona, que havia entrado na vaga de Leandrinho, ganhou de dois na lateral e tocou, com categoria, para Guilherme cabecear. O gol da vitória, da redenção. Ilha do Retiro em festa para comemorar não só a vitória, mas dizer: adeus, empatite!  

      Detalhes do jogo:

      Sport  2

      Mailson; Norberto (Raul Prata), Rafael Thyere, Adryelson e Sander; João Igor, Charles e Leandrinho (Pedro Carmona); Hyuri (Yan), Guilherme e Hernane. Técnico: Guto Ferreira.

      Bragantino 1 

      Júlio César; Aderlan, Léo Ortiz, Rayan e Edimar; Barreto, Uillian Corrêa (Ricardo Ryller) e Claudinho; Morato (Robinho), Wesley e Matheus Peixoto (Bruno Tubarão). Técnico: Antônio Carlos Zago.

      Árbitro: Pathrice Wallace Corrêa Maia (RJ). 

      Assistentes: Silbert Faria Sisquim (RJ) e Andréa Izaura Maffra Marcelino de Sá (RJ)

      Cartões amarelos: Claudinho (B), 

      Gols: Leandrinho(S), aos 10 minutos do 1T, Léo Ortiz, do Bragantino, aos 47 do 1T,  Guilherme, do Sport, aos 47 minutos do 2T 

      Público: 19.058 

      Voltar


      Fale Conosco:
      ismaradona@hotmail.com  

      WhatsApp: 87 98841 7572