Com tranquilidade, Náutico goleia Petrolina nos Aflitos e diminuiu a pressão

      30 JAN 2019
      30 de Janeiro de 2019

      Se o Náutico buscava reabilitação, encontrou no Petrolina o adversário perfeito. Mesmo sem apresentar um futebol brilhante, a equipe alvirrubra não encontrou dificuldades para golear a frágil equipe sertaneja por 5 a 0 nesta quarta-feira, nos Aflitos. Com direito a 4 a 0 ainda no primeiro tempo. Foi a primeira vitória do Timbu, em três jogos no Campeonato Pernambucano, o que deixa a equipe na 7ª colocação, com três pontos.

      O Timbu já volta a campo no próximo sábado, mas pela Copa do Nordeste. Encara o Salgueiro, no Cornélio de Barros, pela terceira rodada da competição. Pelo Estadual, só volta a campo no dia 6, contra a Acadêmica Vitória, novamente nos Aflitos.

      Para a partida, como prometido, o técnico Márcio Goiano mandou a campo a força máxima do Náutico, mas com mudanças em relação ao time que iniciou o jogo contra o Sport no último domingo (derrota por 3 a 1). Na defesa, o zagueiro Diego Silva ganhou a vaga do contestado Camutanga, enquanto que no ataque, Robinho, que marcou o gol de honra dos alvirrubros no clássico, voltou a ser titular. Porém, no primeiro tempo, foi um velho conhecido que fez a diferença a favor do Timbu.

      Logo aos dois minutos, após o goleiro Pezão cortar mal, Wallace Pernambucano limpou o zagueiro e com categoria tirou do alcance do arqueiro do Petrolina, abrindo o placar nos Aflitos. O gol logo no início da partida era tudo o que o Náutico precisava para jogar sem pressão e engrenar na partida. Mas não foi bem isso que aconteceu.

      Apesar de enfrentar um time muito frágil e ter a posse de bola, o Náutico teve dificuldades para criar jogadas ofensivas. Principalmente pela falta de criação no meio de campo com Luiz Henrique e Jorge Henrique, forçando com isso ligações diretas. Dessa forma, o segundo gol demorou mais do que o esperado para sair.

      E mesmo assim, só veio graças a um vacilo da defesa do Petrolina, que não marcou Robinho após cobrança de lateral. Livre na área, o atacante só teve o trabalho de tirar do goleiro Pezão, aos 22 minutos. Só a partir daí, o Timbu de fato se tornou absoluto. E sem dificuldade construiu a goleada ainda no primeiro tempo.

      Aos 39, após outra grande arrancada de Wallace Pernambucano, Fábio completou o cruzamento e fez o terceiro. No minuto seguinte, Luiz Henrique precisou chutar duas vezes para ampliar. E antes do intervalo, Wallace por pouco não marca o quinto após uma bomba de fora da área defendida por Pezão, com dificuldade.

      Com a vitória já consolidada, Márcio Goiano não fez nenhuma mudança na volta para a etapa final. Já o técnico do Petrolina, o ex-zagueiro Lima (campeão pernambucano pelo Náutico em 2001 e 2002) fez o inverso, queimando logo as suas três alterações.

      Porém, o cenário seguiu inalterado. Em ritmo de treino e sem forçar muito, o Náutico seguia dominando a partida e criando chances. Quase sempre tendo em Wallace Pernambucano a sua principal peça ofensiva. Aos 14 minutos, Márcio Goiano promoveu a estreia do argentino Nahuel Cisneros, na vaga de Robinho. O novato, porém, foi discreto.

      E mesmo administrando a partida, o Náutico ainda criou outras chances de aumentar a goleada, com direito a Wallace perder ótima chance, de cabeça, aos 29 minutos. Já nos descontos, Assis encerrou a goleada. A pressão diminuiu. Mas o adversário não serve de parâmetro.

      Detalhes do Jogo:

      Náutico: Bruno; André Krobel, Diego Silva, Sueliton e Assis; Josa, Luiz Henrique e Jorge Henrique (Lucas Paraíba); Fábio, Wallace Pernambucano (Rafael Oliveira) e Robinho (Nahuel Cisneros). Técnico: Márcio Goiano.

      Petrolina: Pezão; Marquinhos (Lucão), Jefferson Petrolina, Danilo Cirqueira e Rogerinho; Café (Jefferson Pimpim), Marcelo e Bibi (Fernandinho); Jean, Raniel e Naldo. Técnico: Lima.

      Local: Aflitos

      Árbitro: Péricles Bassols   Assistentes: John Andson Alves e Victor Matheus de Lavor

      Gols: Wallace Pernambucano, aos 2 min do 1º, Robinho aos 22 min do 1º, Fábio aos 39 min do 1º, Luiz Henrique aos 40 min do 1º e Assis, aos 46 min do 2º

      Cartões amarelos: Bibi (P) , Assis, Cisneros (N)

      Público: 3.554     Renda: R$ 41.706

      Por João de Andrade Neto

      Alvirrubros não encontraram dificuldade para vencer o Petrolina nos Aflitos em outra boa atuação de Wallace Pernambucano

      Voltar

      www.ismaradona.com.br

      Fale Conosco

      WhatsApp (87) 98156 5264

      ismaradona@hotmail.com