De torcedor a ídolo de um time inteiro: emoção e saudade marcam velório e sepultamento de bacalhau em garanhuns

      06 JUL 2018
      06 de Julho de 2018

      Velório de Bacalhau na Câmara Municipal

      Se alguém tinha dúvidas que Bacalhau era mais que um torcedor do Santa Cruz e sim ídolo do time pelo seu amor à equipe coral, foi preciso, infelizmente, que ele partisse para que essa certeza fosse constatada. Já na manhã de ontem, pouco depois de sua morte, Bacalhau já dava provas que seu personagem se tornou tão gigante quanto o próprio clube que idolatrava. O nome dele figurou por várias horas nos trend topics do twitter como um dos assuntos mais comentados do país. Honraria que cabe a poucos e, em época de copa, particularmente à celebridades como Neymar, Tite, Coutinho e companhia. 

      O velório ocorreu durante a tarde e noite de ontem e manhã desta quarta, 05 de julho, no plenário da Câmara Municipal de Garanhuns e contou com a presença de centenas de pessoas que foram dar o último adeus ao garanhuense ilustre. Um fato interessante, percebido no velório, foi a enorme quantidade de pessoas que portavam alguma foto com Bacalhau. Fotos antigas que eram compartilhadas com todos. Percebia-se nos olhos de cada um, o orgulho de ter convivido com uma figura tão carismática e simbólica.

      Sepultamento
      Já no início da tarde desta quinta, 05 de julho, o corpo de Bacalhau deixou  as dependências da Câmara Municipal e seguiu para sua última viagem, até o cemitério São Miguel, na Boa Vista. Antes, o cortejo parou em frente a casa onde Bacalhau viveu por quase toda a vida. Dezenas de pessoas se amontoavam em torno da residência, que estava enfeitada com as cores coral. De lá, o cortejo desceu em direção ao cemitério São Miguel onde uma outra multidão já esperava o corpo. Durante o trajeto, famílias saíram de suas casas. Idosos e crianças acenavam em um sinal de gratidão e tristeza pela partida de Bacalhau. Um carro de som entoou o hino do Santa que foi cantado pela multidão que se dirigia ao enterro. Bacalhau foi enterrado no túmulo que ele mesmo construiu para esta dolorosa, mas inevitável hora que chega para todos um dia,

      Familiares falam sobre ídolo coral

      Nossa reportagem conversou com a esposa, o filho e uma grande amiga do torcedor ilustre. A esposa, Maria Auxiliadora, bastante emocionada, revelou-se surpresa com todo o carinho que foi visto com Bacalhau desde a notícia da morte até o momento do sepultamento. "Ele merece todo esse carinho , fez muito pelo  Santinha. Estou muito feliz de ver todas essas homenagens.  O pessoal do Santa Cruz sempre vinha nos visitar porque sabiam da importância de Bacalhau. Ele viveu  para o time. Sempre com as roupas do time, sempre pintando tudo com as cores do time. Por isso resolvemos enterrá-lo com a roupa do Santa Cruz porque sei que este era seu desejo," disse Auxiliadora ao V&C.

      Já o filho Jadson Mariano agradeceu a todos o carinho para com o pai na dolorosa despedida. ''Toda essa demostração de afeto revela o quanto meu pai era amado pelas pessoas. Ele é merecedor de tudo isso", frisou. Outra que conversou com o V&C no velório foi a  Maria Jaílda de Albuquerque  uma das melhores amigas de Bacalhau e carinhosamente conhecida como Cobrinha. Muito emocionada, ela falou da dor de perder um grande amigo.  "Éramos amigos há muitos anos. Viajei muito com ele, sempre do lado dele, sempre que ele ia organizar  uma carreata  me procurava e  eu sempre ajudava. O Santa Cruz pra ele era tudo. Perdi meu melhor amigo", desabafou Maria Jaílda.

      A origem do nome Bacalhau

      Uma das perguntas que mais ouvimos durante as últimas homenagens prestadas ao torcedor número 1 do Santa foi sobre qual  seria a origem do nome Bacalhau. Teria algo a ver com seu time de coração? Não. Segundo um sobrinho, José Mariano da Silva, o Bacalhau, era um frequentador assíduo do Bloco Bacalhau do Batata, tradicional agremiação carnavalesca de Olinda. Todos os anos José Mariano ia participar do desfile. De tanto que ele falava, "eu vou para o Bacalhau, eu vou para o Bacalhau", foi apelidado carinhosamente de Bacalhau.

      Epílogo de um torcedor que virou ídolo do clube que amava

      Difícil era ter um torcedor, diretor ou jogador do Santa que não conhecesse a importância de Bacalhau para a história do time. Em uma época onde vemos tantas agressões, inclusive mortes entre algumas torcidas organizadas, Bacalhau simbolizava o oposto disso. A paz, o torcedor feliz, respeitador e alegre.

      Ao falecer, ele nos deixa triste, mas é certo que sua missão não terminou. Passou para a história do Santinha e será sempre lembrado pelo seu amor platônico pelo universo coral. Lá do céu, certamente intercederá por nós e pelo seu time de coração dando aquela ajudazinha celestial.

      Por: www.vecgaranhuns.com

      Torcedor do Sport e Santa se unem para reverenciar Bacalhau durante sepultamento

      Voltar

      www.ismaradona.com.br

      Fale Conosco

      WhatsApp (87) 98156 5264

      ismaradona@hotmail.com